Negociações salariais – SSDPFRJ
Voltar para Notícias
05/11/2015

Negociações salariais

Nesta quarta-feira, 04, o Presidente da FENAPEF, Jones Leal, e reuniu com o Diretor-Geral da PF, Leandro Daiello, para tratar de assuntos relacionados às negociações salariais e de carreira dos cargos do órgão.

Daiello esclareceu que se declara contrário a qualquer tipo de aumento diferenciado entre servidores ativos e aposentados. Essa proposta vem sendo divulgada de forma extra-oficial, mas ainda não foi apresentada às entidades de classe.

Além disso, Leal fez contato com associações de classe da Polícia Federal e seus representantes disseram que, apesar de estarem fazendo consultas aos seus associados, não receberam oficialmente qualquer proposta, mas também se manifestaram contrários a essa possível oferta de aumento diferenciado.

O Ministério do Planejamento continua afirmando que a FENAPEF será convidada a ouvir a proposta de aumento do governo em breve, mas sem data e horário definidos. Contudo, a diretoria da entidade está discutindo em outras esferas um possível aumento que contemple de forma igualitária a todos os cargos, sempre incluindo os aposentados.

O Secretário de Relações do Trabalho, Sérgio Mendonça, afirmou à Diretoria da FENAPEF que existe orçamento previsto para aumento e reestruturação de algumas categorias, mas que a Lei Orçamentária será enviada ao Congresso Nacional tardiamente, já que o funcionalismo público só receberá o aumento em agosto de 2016. Disse ainda que nenhuma proposta oficial foi apresentada às entidades de classes representativas dos servidores da Polícia Federal.

Segundo Leal, a FENAPEF não vai assinar qualquer acordo que quebre a paridade e integralidade dos policiais federais. “Nossa aposentadoria especial se dá em razão da atividade de risco e da dedicação exclusiva.”

Leal enfatiza ainda que, caso o governo tente forçar uma negociação nesses moldes, ele chegará a renunciar ao cargo de Presidente da FENAPEF. “Aceitar um acordo da forma como vem sendo cogitado seria um passo para o fim de nossa paridade. Caso o governo apresente uma proposta sem contemplar os aposentados, confirmo o que disse em AGE do Conselho de Representantes e renunciarei à Presidência da FENAPEF, mas não assino um acordo nesses moldes”, completa.

Fonte:Agência FENAPEF